Confira o vídeo de lançamento do IOEB – Índice de Oportunidade da Educação Brasileira

30 de Outubro de 2015 | Notícias

O evento de lançamento aconteceu no dia 07/10, em São Paulo, onde diversos representantes do Poder Público, pesquisadores e Organizações da Sociedade Civil marcaram presença. O evento contou com uma apresentação do Índice, realizada por Reynaldo Fernandes, criador do IOEB, e uma roda de discussão com o tema Como melhorar a qualidade da educação no sistema federativo brasileiro?

No vídeo, Luiz Felipe d’Avila, Diretor-Presente do CLP – Centro de Liderança Pública, conta que o IOEB é um índice criado para mobilizar a opinião pública e os governantes em torno dos desafios impostos para melhorar a qualidade das oportunidades de educação. O Índice identifica quais cidades e estados oferecem as melhores oportunidades educacionais para as crianças e adolescentes que vivem ali.

Reynaldo Fernandes, cocriador do IOEB, explica que a ideia por trás da concepção do Índice foi "criar um indicador síntese que reúne diversos outros indicadores de insumos e resultados educacionais por unidade territorial".

Fabiana de Felicio, cocriadora do Índice, contou que o IOEB não veio para ser apenas mais um indicador. “Ele foi pensando para atender uma real carência nacional. Até então, não existia um indicador focado no território, algo que avaliasse a qualidade da educação oferecida por determinada localidade. O IOEB não é dirigido para uma rede de educação específica, mas sim, para toda a localidade.”, relatou Fabiana.

Ana Maria Diniz, Presidente do Conselho do Instituto Península, aumentou o coro de características do Índice. Ela apontou que o Índice é complementar ao Ideb e traz mais informações, “pois além de trazer os resultados educacionais mais importantes, como o Ideb e a Prova Brasil, o IOEB também traz os insumos educacionais mais relevantes, como a experiência dos diretores, taxa de atendimento da educação infantil e a percentagem hora/aula por dia.”

Um dos debatedores da mesa, Wilson Risolia, ex-Secretário de Educação do Estado do Rio de Janeiro, foi categórico ao afirmar que “não existe crescimento econômico sem educação. Um país só cresce de maneira sustentável a partir de uma sólida educação.”

Luiz Felipe d’Avila finaliza a discussão apontando três pontos de influência do IOEB. Para ele, o Índice contribui para a responsabilidade dos gestores públicos que atendem a educação dos municípios e estados; para maior transparência, uma vez que todas as informações estão disponíveis em plataforma aberta e, a partir delas, qualquer pessoa consegue avaliar quais lugares oferecem as melhores oportunidades educacionais.

Por último, Luiz Felipe alega que o IOEB contribui para a cultura da meritocracia, uma vez que mostra os municípios e estados que, de fato, estão em busca de melhorar a qualidade da gestão para a educação.