Entenda: Como usar o Ideb e o IOEB juntos

06 de Outubro de 2015 | Notícias

ioeb-ideb-juntos2.jpg

O Ideb – Índice de Desenvolvimento da Educação Básica é hoje o maior diagnóstico da educação básica no Brasil. Seus resultados servem para balizar políticas públicas e a distribuição de recursos do MEC. Aplicado a cada dois anos, desde 2007, o Ideb é calculado com base no aprendizado dos alunos em Português e Matemática e no fluxo escolar. Esses dois fatores estão diretamente relacionados dentro do indicador, sendo impossível aumentar o resultado geral, melhorando apenas um dos fatores.

Por ser um índice simples e que traça um diagnóstico por escola, o Ideb foi adotado como a principal medida do nível da educação básica no Brasil. Capaz de traçar metas específicas e individuais para cada escola, a partir do seu desempenho inicial.

 

A diferença entre os índices

Indicadores da Educação existem para avaliar o sistema educacional de diferentes perspectivas. No caso do Ideb e o IOEB – Índice de Oportunidades da Educação Brasileira, a diferença entre os índices se dá em dois níveis. Enquanto o Ideb oferece um diagnóstico preciso sobre a situação das escolas em Português e Matemática, o IOEB traz uma perspectiva macro da educação e tira o foco da escola, focando em todo o ecossistema educacional oferecido pela cidade, o que envolve principalmente a gestão municipal e estadual para a Educação.

O Ideb é parte do IOEB. Juntos, os dois índices pretendem ser complementares no momento em que capturam dimensões diferentes e complementares da educação. Enquanto o Ideb está focado nas escolas e captura apenas os alunos que participam de alguma rede de educação, o IOEB usa o estado ou município como unidade de análise e captura os alunos de todas as redes e também aquelas crianças em idade escolar, mas que estão fora da escola. Uma outra diferença entre os índices está na adaptação feita no Ideb para que pudesse compor o IOEB. O resultado do Ideb é fruto das oportunidades educacionais oferecidas pela escola, junto ao background familiar do aluno.

Para cumprir com o objetivo de identificar a qualidade das oportunidades que cada município oferece para seus cidadãos, a composição do IOEB precisou isolar o efeito background familiar que compõe o Ideb, deixando assim, apenas a parte que diz respeito às oportunidades educacionais oferecidas pela escola. Isolando-se do fator renda e familiar, tem-se um indicador que representa a responsabilidade do município para com seus alunos.


Como os índices são complementares

Ao avaliar o ecossistema da educação, o IOEB oferece um diagnóstico sobre como o investimento e a gestão dos recursos estão sendo administrados em determinado município ou estado. O índice não oferece uma receita pronta do que precisa ser melhorado, ele é um diagnóstico da qualidade do ambiente educacional existente.

 

A partir do IOEB, pode-se pontuar aqueles municípios e estados que bem utilizam os recursos que dispõem para a educação. Aliando o IOEB, um indicador abrangente e que engloba todo o cenário da educação, com o Ideb, um indicador focado em cada uma das escolas de determinada localidade, tem-se uma visão geral da educação oferecida por determinado município e uma indicação de quais são as reais fraquezas da educação oferecida. Juntos, os Índices apresentam uma visão completa ao abordar o cenário micro, com foco nas escolas, e o cenário macro, com foco em toda a gestão educacional. 

Ideb_e_IOEB.JPG

Imagem original no site Redes